quarta-feira, janeiro 11, 2006
A rapariguinha do shopping
“Oiça lá…” - virei-me eu para a estúpida da empregada do balcão, “…faça favor de encher o meu copo até ao traço!”. Já era a segunda vez que aquilo acontecia na mesma noite. Uma hora antes, na pizzaria do shopping, venderam-me duas fatias e um copo de 40 centilitros de Coca-Cola que vinha uns bons 10 centilitros mais pobre. Agora, no intervalo do cinema, fui ao balcão e pedi outra cola, desta vez de 80 cl. E acontece a mesma coisa. O líquido está uns bons cinco centímetros abaixo do tracinho branco que indica, exactamente, os 80 cl. O que se passa é que eu peço sempre o refrigerante sem gelo. E como as maquinetas dos ditos doseiam o líquido a contar com uma boa dose do gelo no copo a medida fica sempre aquém do anunciado. Eu sei que a culpa não é dos empregados, mas um homem tem que traçar o limite algures.

“Oiça lá… faça o favor de encher o copo até ao traço!”

“Mas tem a medida toda da máquina…”, responde-me com o ar mais natural do mundo… com as duas mãos em cima do balcão e a olhar por cima do meu ombro para o cliente imediatamente atrás de mim, como a despachar-me rapidamente. "Próximo", grita do alto da arrogância a que pensa poder dar-se ao luxo.

Não, não… eu ainda não acabei!

“Oiça rapariga… eu não quero saber da medida da máquina! O que eu sei é que pedi uma cola de 80 cl; você cobrou-me 2,80 euros por uma cola de 80 cl; Pôrra… eu tenho um recibo a dizer “refrigerante de 80 cl --- 2,80 euros"; e tenho um copo que não tem mais que 60 centilitros!... Por isso, encha-me o copo se faz favor. Porque se eu quisesse a cola de 60 cl tinha pago apenas 2,4o euros.”

“Pois… não sei… essa é a medida da máquina…a gente carrega num botão e a medida sai certa…” – E faz aquela cara de quem finge que não está a perceber o que a gente lhe está a dizer, na vã esperança que eu, simplesmente, vá embora.

Estou a começar a ficar ligeiramente irritado…e um sorrisinho maquiavélico começa a aflorar ao meu rosto. Só preciso de uma desculpa para soltar todo o meu desprezo sobre aquela funcionária estúpida e gorda que nem para tirar a porcaria de uma cola de uma máquina de refrigerantes tem qualificações.

“Vamos ver se a gente se entende…” – repito-lhe devagar. Tão devagar que não ficam dúvidas que a estou a insultar. “Eu… pedi… uma… cola… de… 80… centilitros!... qualquer pessoa... com o mínimo... de inteligência... olha para este copo... e percebe... que o líquido não está pelos 80 centilitros. Porque tem ali um tracinho a dizer 80 centilitros… está a ver?… e o líquido está aqui em baixo, cinco centímetros mais abaixo… está a ver?... Agora, eu não sei como é que a menina pode solucionar este problema, até porque o meu nível de conhecimentos não compreende os mistérios que esconde a mui nobre profissão de vender coca-cola e pipocas num balcão de cinema, mas sugeria que, sei lá… voltasse a colocar o copo na máquina… e enchesse até à marca…”

Achei que talvez agora o meu pedido fosse atendido. Mas não. A rapariga ainda tentou esboçar outra desculpa qualquer… e a minha paciência esgotou por completo…

“Ouve lá ò gorda de merda!... Eu não sei qual é a dificuldade... Para além de feia como um chibo és estúpida como uma porta. Eu não faço a mínima ideia da utilidade que poderás ter no mundo e, no fim do teu turno, sugeria-te que fosses para casa e afogar-te na banheira… cortar os pulsos… meter a cabeça no forno… sei lá, qualquer coisa, que liberte o resto do mundo da tua triste existência… mas até lá… ENCHE-ME A MERDA DO COPO ANTES QUE EU TE ESPETE COM ELE PELOS CORNOS ABAIXO!!!”. Cheguei com quase cinco minutos de atraso à segunda parte do filme... mas valeu a pena! Aliás... acho que hoje lá vou novamente... e nem vou ver filme nenhum. Limito-me a insultar a rapariguinha do shopping, poupo o dinheiro do bilhete, e o grau de satisfação é o mesmo!

posted by Raimundo @ quarta-feira, janeiro 11, 2006  
7 Obscenidades evitáveis:
  • At 11 janeiro, 2006 17:25, Anonymous Kat said…

    O q realmente me perturba neste teu relato nem são os insultos à miúda... é q tenhas a lata de ir sorver uma cola de 80 cl p dentro da sala de cinema!!! tz tz tz

     
  • At 11 janeiro, 2006 17:32, Anonymous V.Samotrácia said…

    ah pois é...e mai nada!!! É assim mesmo!!! isto é tudo uma grande cabala contra ti, dos poderosos lobbys econoómicos faschizoides e capitalitas multinacionais!
    Adorei este teu episódio! aliás has-de dizer-me quem é e puta da "gaija" que te fez tamanha façanha para eu a ir lá ofender também! sabes que adoro ofender as pessoas (ou amostras de qualquer ser, vivo ou não, que se fazem passar por pessoas), pelo puro prazer de as espezinhar, humilhar e diminuir em todos os aspectos que as possam fazer sentir humanas!!!a maldade que me corre nas veias é um veneno delicioso que adoro espalhar no mundo só para ver até quando é que essas ditas pessoas aguentam a pressão e depois se suicidam!! aliás fazer as pessoas sentirem-se mal e inferiores é dos meus desportos favoritos e extremamente gratificantes para mim, pois liberto todo o stress e atinjo o meu objectivo!!AHAHAH ( ler um tom maquiavélico e sinistro como se tivesse saído das estorricantes profundezas do Inferno!! tou contigo companheiro da imposição da malvadez sobre a condição humana!Raimundo rules!!yeh

     
  • At 11 janeiro, 2006 18:04, Blogger Luis Beirão said…

    Pobre miúda!
    Se o patrão (que nunca dá a cara) descobre que alguém anda a obrigá-la a gastar mais uns centilitrozinhos de cola, ainda vai ser descontada no ordenado...

     
  • At 11 janeiro, 2006 20:20, Anonymous Anónimo said…

    Pobre rapariguinha, o cara**o! É mesmo assim, Raimundo! Mostra-lhes de que Fibra é feita um Macho Latino! Fo**-se!

    pH

     
  • At 13 janeiro, 2006 12:25, Blogger post_it said…

    Raimundo, o justiceiro!
    E uma vez mais foi feita justiça! Há lá raça mais mesquinha que o empregado de restauração?! Camandro! Ainda bem que ficou alguém no meu lugar para fazer justiça em terras da beira!
    Bem-haja Mr.R

     
  • At 05 fevereiro, 2006 13:35, Anonymous Who cares? said…

    Eu até costumo gostar do que escreves...mas parece que até um cérebro com actividade neurológica tem bloqueios.Neste belo texto pareceu-me que menosprezas a simplicidade da profissão que consiste em servir pipocas e coca colas a parvalhões e gaijas que escondem o seu complexo de inferioridade no gosto de "espezinhar, humilhar e diminuir em todos os aspectos...bla bla bla...é realmente a atitude de alguém extremamente inteligente.

     
  • At 07 fevereiro, 2006 01:31, Blogger Raimundo said…

    Correndo o risco de perder um leitor - but, Who Cares 'bout that? - devo chamar a atenção para três aspectos:

    1- Este Blog tem o epíteto de "Diário de um Sociopata Calaceiro" e não o de "Diário de um Bom Samaritano Compreensivo"!

    2- No cabeçalho do mesmo Blog pode ler-se naquela espécie de marca d'água, "(...)Avance por sua conta e risco... mas depois não se venha cá queixar que isto e que aquilo". Não quero com isto retirar-lhe a liberdade de expressão, que apesar de sociopata, não sou facínora como uns e outros que por aí andam de ray bans e uma toalha de mesa de tasca de novela da TVI enrolada na cabeça, mas somente remetê-la para a advertência inicial.

    3- Meu(inha) caro(a), vossa mercê não conheceu a rapariguinha do shopping em questão. Se tivese...

     
Enviar um comentário
<< Home
 
 


Nome: Raimundo
Morada: Algures em algum sítio, bem no meio de..., Portugal
Que mais queres tu?
Então vê o perfil

Blog aberto a fumadores. E não... não temos as dimensões estipuladas por lei para poder ter um espaço para fumadores. E como estamos num país de chibos, já estou mesmo a ver: um dia destes há uma denúncia anónima e aparecem-me aí uns estupores da ASAE para fechar o tasco!

http://www.totse.com/en/bad_ideas/ka_fucking_boom/atomic.html

Imbecilidades diárias
O Mundo desde o início
Mundos aliados
Mundos de subversão
Mundos da Cova
Mundos de sabedoria
Mundos em hibernação
Usurários

Powered by Blogger

15n41n1